18 outubro, 2007

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO CONTRIBUI DIRETAMENTE NO DESEMPENHO DO FUNCIONÁRIO


Wagner Ferreira

Doenças causadas pela má conduta no setor de trabalho atingem o funcionário, e em conseqüência, compromete sua performance na empresa. Nas últimas décadas, problemas como esses vêm merecendo atenção especial não só dos trabalhadores, mas também dos empregadores. Entre as principais doenças reconhecidas pela Previdência Social ligadas à saúde do trabalhador, estão a lesão por esforço repetitivo- LER- e o distúrbio osteomuscular relacionado ao trabalho –DORT- que representam cerca de 65% dos casos.

Mas o esforço contínuo e repetitivo não influi sozinho para a indisposição do trabalhador no seu dia-a-dia. Problemas de ordem ergonômica, de iluminação e falta de higiene podem contribuir decisivamente para um mau desempenho, ou afastamento de um empregado por motivos de doenças respiratórias e de coluna. Dentre alguns problemas provocados pelas condições de trabalho adversas estão a síndrome da fadiga, o envelhecimento precoce, os distúrbios do sono e da sexualidade, além o estresse crônico.

Segundo a médica clínica, Paula Prata, é comum receber em seu consultório, no Hospital Santo Antônio, em Salvador, pacientes com problemas respiratórios como: alergia, coriza, espirro, ardência, tosse, faltar de ar, asma, e chiado no peito. O funcionário da empresa Postdata Bahia Gestão e Saúde, Marcos Paulo da Paixão, é um deles. Marcos Paixão diz sofrer bastante com o ar condicionado durante suas atividades: “sempre minha rinite ataca, e tenho que estar lavando meu nariz, e às vezes faltar ao trabalho", denuncia. Para Paula Prata, infecções respiratórias desse tipo são geradas pelos ambientes fechados, onde se tem um acúmulo de poluentes, os quais prejudicam aqueles que permanecem de oito a dez horas no local de trabalho.

Jornadas ininterruptas também podem desencadear uma infecção urinária. “Isso ocorre nas pessoas que não promovem em seu horário de trabalho pausas regulares para ir ao banheiro, e quando a urina é suprimida por muito tempo gera a infecção”, explica a médica. Outro alerta é sobre os ambientes refrigerados, que inibem a vontade de beber água, comprometendo o aparelho urinário. ”O ar condicionado engana o organismo camuflando a sede, com isso, as pessoas bebem menos água do que o corpo precisa, o que se torna outro agravante para a doença acontecer", conclui Prata. O digitador Joaquim Nabuco, é vítima regular da infecção na urina. Sempre tomando remédio para curar a doença, diz não adotar ações preventivas, como beber muita água, por exemplo: “não tenho tempo, se parar perco o raciocínio, só vou melhorar quando deixar um litro d’água do meu lado”, diz.

Os médicos recomendam que o local ideal de trabalho deva ter condições mínimas de higiene, iluminação e ventilação. Para a visão é imprescindível trabalhar com luz branca (fluorescente), sem sombra. A iluminação ruim ou em excesso causa cansaço visual, e a diminuição no rendimento no trabalho.
Postar um comentário