02 maio, 2017

O CORPO

Mesmo diante de tantas evidências, insistimos em ser céticos e dar esperança à vida. Evitamos repetir equívocos anteriores e formar juízos, ainda que haja despojos espalhados em cenários antes vividos pelos dois.

A cada dia após o anúncio do desaparecimento e possível morte, esta fica cada vez mais certa. Mas, ainda que a frieza das evidências dispostas dentro do contexto nos faça perder a esperança na vida, e, mais ainda, na ressurreição, seremos sempre otimistas com quem amamos. 

Diante disso, ficamos a esperar o rolar da pedra para que essa pessoa venha ao nosso encontro. Só que não foi desta vez que o milagre aconteceu. O corpo já havia sido encontrado por alguém, que àquela altura, também já o conhecia em detalhes. 


Postar um comentário